terça-feira, 6 de julho de 2010

Os meus Parabéns


Acho que nunca vou crescer. Nem em altura, pois já sou bastante alta, nem em "género do Qu'orror".

O género do Qu'orror, é aquela atitude normalmente de pita adolescente que quer ser grande, que tenta (vamos repetir), tenta ter atitudes dos ditos "grandes",atitudes em que rebolar, comer batata frita sem talher e ter peluches é "foleiro". É a fase em que não se quer usar camisolas com bonecos, porque isso é para o primo de 5 anos. Sonhamos com os 18 anos, em conduzir um carro, em ir para longe de férias, (na minha altura) fazer o belo do piercing e a tatuagem.

Mas os tão ambicionados 18 chegam, em que família e vizinhos nos dizem que já somos grandes.... e quando esses 18 chegam, apercebemos-nos que nada mudou e que perdemos tempo a pensar no que se iria fazer quando se fosse grande.

Para pequenos ou grandes, uma verdade é certa, o tempo não pára e quando damos por nós, já somos realmente grandes. Sabemos que por usarmos bonecos em tshirts não vamos parecer miúdos e se comermos batata frita com a mão não há nenhum mal ( a não ser que tenhamos usado as mãos para... adiante).

E eu sei que nunca serei grande na visão de uma adolescente. Saltarei em poças de água sempre que as galochas existam , rebolarei na praia como hoje sempre que me apeteça e estou feliz por ter como nova companhia o melhor peluche de sempre dado pela minha prima S.

Quero ser sempre assim, com um toque de criança, que salta, rebola e é feliz e com a rectidão que os anos que vivi me ensinaram.

by N.



1 comentário:

Quando e como eu quiser disse...

É isso mesmo. Não levar a vida demasiado a sério.