terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Confesso...


... estou em P.A.N.I.C.O. com o aumento populacional em um habitante na nossa rua. Está Dito!
By C.

Nova vizinhança 2 @ "2XNº1"

"Eu vivo num condomínio, onde não preciso de chave para entrar no prédio. Preciso simplesmente de marcar um código e voilá, I'm in. Mas há sempre aquele vizinho que gosta de remar contra a maré, embirrar com qualquer coisa porque não tem nada para se ocupar. Bem, neste caso uma vizinha! E adivinhem só, a vizinha da sub-cave, cansada de ter a varanda virada para as garagens, e não para a serra de Sintra (como a minha!), decidiu armar-se em esperta e desactivar a entrada por código. E porquê? No outro dia descobri, numa casual conversa de elevador, que a vizinha em questão acabou com o namorado e então para ele não entrar, ela quis desactivar aquilo. E não é que a empresa veio cá e desactivou aquilo?! Quer dizer, agora porque a menina acabou com o namoradeco, o resto do condomínio tem de ter mais uma chave a pesar no porta-chaves. De uma coisa tenho a certeza, não há paciência para este género de gaja frígida e retro que se acha o centro do mundo e obriga a vizinhança a abdicar de um facilitador de quotidiano por causa de um problema pessoal. Que grandecíssima vadia! Viver num condomínio tem destas coisas!"

P.S. Pelos vistos, não sou eu o único indignado e numa recente reunião de condomínio decidiu-se que o código vai voltar a ser reactivado. Só falta chamar a empresa e pagar um balúrdio. Sim, espantem-se, mas para activar/desactivar a empresa chula mais uns euros aos condóminos. Só espero que as aventuras da vizinha não acresçam nenhum valor ao mensal que já se paga condomínio. Que seria!

@ " 2XNº1" (Sexta Feira, 18 Dezembro)

By N.

Saudades...


Porque voltar á terrinha, ver a familia, os amigos e aqueles lugares que tanta recordação nos trazem é tão, mas tão bom...

Mas depois também ficam cá dentro as saudades de tudo o que deixei para trás... tanta saudade...

By N.

domingo, 27 de dezembro de 2009

A isto chama-se SORTE!


Lembram-se de eu dizer que durante os dias de natal ia ter uns vizinhos novos? Daqueles ainda mais encantados, do mundo da disney, de orelhas redondas gigantes e de bicos amarelos hilariantes.
Pois bem, até chegar a tão maravilhoso sitio com tão encantadas personagens, tive uma serie de peripécias, que não lembram nem ao Pai Natal.
Para começar, já atrasada na ida para o aeroporto e respectivo embarque, tive umas valentes horas na fila de transito uma vez que tinha ocorrido um acidente onde estavam envolvidos uma catrafada de veículos, desta feita, segue-se a técnica do "muda de fila sistematicamente", todavia, como toda a gente sabe a fila que anda mais é sempre a do lado, por isso esta mais de provado que podem mudar 20 vezes de fila que a do vosso lado andará sempre mais do que aquela que se encontram. Assim sendo, vi quase quase o voo por um canudo, não fosse o avião ter um grande atraso. Foi assim, o momento de sorte nº 1.

Chegada ao aeroporto e esperando o dito cujo, vou a casa de banho e volto a sentar-me para aguardar a chegada do meu avião. Com isto passam mais ou menos, uns 40 minutos desde a ida ao WC. É, então, neste momento em que me levanto para entrar finalmente no monstrinho que nos levava para a bela capital francesa, que reparo que na minha mão não consta o anel, que sempre ou quase sempre, coloco na minha mão direita pela simbologia que têm e pelo carinho de quem mo ofereceu há uns tempos. Fiquei azul, amarela, verde, vermelha de todas as cores. Pensamento imediato: a lavagem de mãos logo logo após a ida a casa de banho, tenho o mau habito de tirar o anel, e não sei porquê, porque a agua não altera nenhuma da sua boa qualidade, retrocedo o embarque volto ao toilete. Para meu grande espanto o anel estava ali a sorrir para mim.. foi o momento nº 2 de sorte.

O nº3 foi quando o cãozinho que uma senhora transportava, saiu daquelas malinhas para levar o dito cujo, e andou as voltas e a ladrar aeroporto adentro, mas que finalmente obedeceu a dona e entrou na sua "casita" ambulante.

Finalmente levantamos voo. E foi magnifico.

By C.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Nova vizinhança 1@ "Este blogue precisa de um nome"





"E pronto aconteceu. Tocam à campaínha, achei que era a minha mãe. Abro a porta em roupão. Era o meu vizinho de cima gatérrimo, com uns olhos de cair para o lado. Com um ar despenteado e de menino que acabou de assaltar a caixa das guloseimas. Oh God! Era para pedir a chave da garagem. Atenção que o meu roupão é lindo, da Zara Home, mas não deixa de ser um roupão.
Lembro-me que aqui há uns tempos, fui tocar-lhe à campaínha. Estava muito nervosa porque tinha encontrado um rato na garagem. Devo ter sido um bocadinho insistente porque abriu-me a porta todo molhado enrolado numa toalha. Nem sei quem ficou mais atrapalhado, se ele se eu.
Resumindo: estamos quites."

@ Este Blogue precisa de um nome (Sexta Feira, 9 Outubro)

by N.

E se...


US-Vogue

...este blog, além das histórias dos nossos vizinhos se enriquece-se com as vossas histórias de outros tão queridos (ou não) vizinhos??

Pois bem, como vos disse, sem os nossos vizinhos peculiares agora por perto, este blog carece de riqueza "vizinhal"... e sendo um blog sobre isso mesmo, não o vamos tornar numa outra coisa qualquer só porque "dava jeito". Podíamos sim, falar dos atentados ambientais que há por ai, da economia que se tenta equilibrar, do novo programa de tv ou da folha que acabou de cair no passeio... não, de vizinhos para vizinhos e nada mais... sobre tudo o resto há quem fale mais e melhor...

Assim, com as devidas autorizações que tal acto exige, pelas tantas histórias de vizinhos que moram nesta blogosfera e porque no fundo vizinhos quer queiramos ou não todos os temos: sejam bem-vindas as novas histórias de vizinhos dos vossos blogues para o nosso.

By N.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

A eterna vizinha da BMX


Nesta cidade onde muitos amigos ficaram como apenas uma recordação, existe uma vizinha, uma amiga de longa data, a minha vizinha da BMX, da franja e do cabelo em "rabo de cavalo".

Com apenas 8 anos, família e mobílias trocaram a azafama da cidade á beira Tejo por esta pacata e fria cidade. No meio de tanta novidade, a solidão era óbvia e ocupava os meus dias. Não havia as amiguinhas , os baloiços não eram os mesmos e a novidade de ter um jardim depressa deixou de o ser. Por sorte a minha BMX vermelha fez a mesma viagem e depressa eu me apercebi das potencialidades que morar num bairro sossegado trazia. Andar de bicicleta não tinha restrição nem medos como em Lisboa e assim, ela depressa se tornou a minha amiga, que me dava companhia e permitia explorar o novo bairro, não fosse eu uma alminha curiosa.

No meio de tantas casas e jardins, todos eles estranhamente com um cão (não fugi á regra), vi que perto de mim morava uma rapariga que também tinha a sua BMX, franja e cabelo num "rabo de cavalo" como eu. Lembro-me de ter parado e ficado uns instantes a vê-la, era um "eu" que estava ali... Não como agora que quase todas temos franja, não que naquela altura fosse moda, mãezinha assim o decidia, e pelos vistos alguém partilhava das mesmas ideias.

Pois ali fiquei eu, especada a olhar... e como se fosse hoje, lembro-me de pensar "Ela ainda vai ser minha amiga".

O tempo passou, chegou o 5º ano, aula de apresentação e lá estava ela! As unicas na turma de cabelo escuro, franja e rabo de cavalo, mais gancho menos gancho. E o ano decorreu, formou-se uma amizade e até julgavam sermos irmãs. Pois bem, as histórias de BMX, passaram a histórias de patins em linha, a histórias de voley, a histórias de scooter, a histórias de carro e hoje os anos que partilhamos não cabem mais nas duas mãos. As histórias que temos e vivemos são mais que muitas, inesquecíveis e fáceis de roubar uma gargalhada a qualquer pessoa.

Hoje, muitos anos depois, aquela menina que vi é uma das minhas grandes amigas, uma das minhas mais loucas companhias e embora eu esteja fora durante grande parte do ano, vai ser sempre a minha vizinha.

"Ainda cá estamos X.!!!! 'Bora ir cafezar?"

By N.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

NEVEEEEEEE


E uma pessoa vem do que agora me parece um lugar muito tropical e tungaaa.... neve neve neve!!!

De pézinhos na cidade do frio, foi o tempo de chegar, respirar, beijos e beijos, foi assim e foi assado e uhhhhh pahhhh, correr para ver o jogo do Benfica-Porto. Um contorcionismo de se ver para vestir tanta malha polar, meias da grossura de um dedo, gorro, luvas e cachecol, toda eu uma aprisionada. Depois de tanto "pêlo" em cima, foi ver-me bufar todo o jogo tal era o calor gerado pela multidão que se debruçava sobre as mesas do café... Beber um café a menos de 0,6 euros, uma mini a menos de 1euro e a juntar, um golo em menos de 30 min. YAHHHHHH! (perdoa-me C.)

No decorrer de tão esperado jogo, lá fora a cidade enchia-se lentamente de um manto branco... neve e muito gelo... acabados os 90min foi ver tudo a dispersar para levar os carros. Imaginem...uma viagem que faço em 10min, demorou 30... a cidade estava parada.

E parada vai continuar a estar... vizinhos aqui mal se vêem, e para ver é preciso acordar muito cedo... vale a pena só para ver o esforço que fazem para não cair, que o digam os meus pais que já contam alguns sustos, mas de qualquer maneira agora acordar cedo deixou de fazer sentido... mas de resto, luzes acesas e chaminés que sopram serões de noites em família.

E assim por agora da minha parte, não há vizinhos para apresentar... por aqui hiberna-se!

By N.

Vizinhos encantados.


Agora imaginem que de repente os vossos vizinhos têm orelhas grandes redondas e pretas, têm cauda e bico, fazem do mundo um mundo encantado, e enchem de alegria os miúdos e os graúdos.
Pois é, este natal os meus vizinhos vão ser o Mickey, a Minnie, o Pluto, o Pato Donnald e Co.
E eu vou gostar tanto de deixar de ver surfistas de tronco nú para ver tudo a nevar e tudo cobertinho de gorros, luvas e cachecóis... mas por pouco tempo. Porque a nossa rua é tal e qual um vale bem bem encantado.

"Meri Chrismas" para todos os queridos leitores, como diriam (e mal) os nossos fantásticos vizinhos.

By C.

domingo, 20 de dezembro de 2009

Adeus... e até já!

Chegou a hora... finalmente as tão aguardadas férias... é tempo de voltar á "terrinha",pais, avós, tios, primos e tudo tudo tudo!!! Um novo acordar todos os dias e muitos, muitos cafés com histórias para ouvir e contar.
Custa-me sempre deixar esta casa, esta cidade e a sua vida, mas também sabe tão bem voltar... sim se sabe...

Sou a última a sair desta casa... amanhã, novos ares, uma casa diferente de lareira acessa(hum)... E vizinhos, vou sentir a falta destes meus vizinhos... será que os que me esperam estão á altura? A ver vamos... todos nós portanto.

By N.

sábado, 19 de dezembro de 2009

Thank U Thank U

Snif snif Snif... estou que não posso... estou mesmo... "lagriminha no canto do olho..." aliás é mais baba e ranho com uma mistura de sorriso parvo.

E porque estou assim,
E porque foste tu que me destes estes momentos
E porque foi um ano espectacularrrrrrr
E porque tinham muito medo (medo?) de nos juntar
E porque tu sabes
E porque não estou com sabedoria nas palavras
E porque os Óscares não se ganham sozinhos....

Trulyyyyy....Thank U!!!! Simplesmente, o Óscar também é teu...teu teu teu!!!

Buahhhhh... estou que não posso!

By N.


quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

And the winner is...


O Óscar de melhor vizinho(a) do ano não vai para o vizinho pianista do 4ºandar, nem para o outro "cheiroso e gostoso" (e estas palavras não saíram da minha boca eu juro), também não vai para a querida vizinha que faz um bolo de chocolate de chorar por mais, nem para os vizinhos que transpiram felicidade no casamento, no apartamento, e nas duas crianças fofinhas que têm. Também não vai para os vizinhos acalorados surfistas, nem para o vizinho que tem tanto de multas como de avarias no seu veículo. E o giro giro? Também não, também não vai para ele o troféu.
Porque o vencedor mora mais perto que qualquer um deles. Mora no quarto ao lado. Pois bem, querida N. o Óscar já ninguém tu tira.
Não fosses tu a melhor pessoa para se partilhar o lar.
Aquela que ao longo dos tempos me presenteia com gargalhadas e mais gargalhadas, com infinitas conversas de varanda, com conselhos que valem ouro.
Pois és tu que me vês a rir de felicidade até me doer o último músculo abdominal, és tu que me vês chorar até não mais querer, és tu que sabes o que se sente, o que não se sente, e o que não se sabe que se sente. É contigo que eu partilho um animal de estimação como ninguém tem (lembram-se do caracol?) e é contigo que bebo água que faz rir e faz Home Car.
Porque és tu que dizes que sim às idas ao ginásio mesmo te apetecendo ficar no sofá a socializar com as calorias, e porque é contigo que esta casa ganha mais vida, esta rua mais energia e este ano mais significado.

Por tudo, o meu muito obrigada.

Para o ano abre novo concurso e tirarem-te o lugar não vai ser tarefa fácil.

By C.

Cuidado!


Depois de analisarmos alguns dos pedidos da nossa vizinhança para o natal e para o ano de 2010 só temos uma coisa a dizer:

- Não peçam muito muito porque correm o risco de realmente acontecer.
By C.

Depois do jantar, do café e do Home Car...


... o dia de hoje só podia ser passado mais ou menos assim.

By C.

Home Car!

Há magia em cada café que se prolonga pela noite sem o querermos, há magia em tudo aquilo que de bom nos é dado sem o esperarmos, há magia no meio de 4 pessoas unidas pelo titulo de vizinho que ao invés de irem para casa decidem ir para o carro prolongar o café! Chegamos agora deste café...

Jantar de Natal de casa, eu a C. um saca rolhas e 2 garrafas, gargalhadas, confissões e brindes de "olhos nos olhos" como a minha priminha S. me ensinou.

Para acomodar o jantar nos estomagos, iríamos só tomar café aqui ao lado com o nosso vizinho das multas. Mais tarde aparece o vizinho giro,giro,giro e completa-se uma vez mais o nosso quarteto. Passa o tempo a voar e damos por nós já na rua junto ao carro de um deles naquele impasse de vou ou não vou para casa. Pois bem quando damos por nós estamos dentro de um carro de um deles... e mais tarde vem o trivial pursuit , vêem as minis, os chocolates e os nossos queridos e também achocolatados "Mere Crismas" (sim, isso mesmo). Tiram-se os encostos do carro, mete-se a bela da almofada, a raquete perdida de apoio, a musica e ali estávamos nós os 4 enfiados num carro, a rir que nem perdidos com tantas bacoradas.

Seria por si só uma noite perfeita entre grandes amigos, mas claro que não poderia ficar por aqui... resta dizer que acabamos a noite a empurrar o carro pela rua pois ficou sem bateria.

Sim... tenho bons vizinhos, grandes amigos e grandes histórias para recordar e sem dúvida hoje é uma delas. Sabe bem deitarmos-nos com um sorriso... Até amanhã.

By N.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Há Natais e Natais!


Natal transmite a ideia de família, descanso, união, convívio, presentes e comida muita comida.

A família geralmente reúne-se e faz com que tudo o que se vai perdendo durante o ano com as ausências se reaproxime.

Mas nem só de presença vive esta época natalícia. Nós temos um grande amigo e vizinho que trabalha no dia de natal ou na véspera do mesmo. E quando falo em trabalhar, não é aqui a passos de casa, podendo voltar no final do dia, mas uma vez que trabalha numa companhia aérea está ausente do país. É certo que pode levar um elemento da família, mas mesmo assim é diferente. Não cheirará os docinhos acabados de fazer, o bacalhau, o perú, os sorrisos e as luzinhas, e a união que se faz sentir cá. Não terá a tia G. a oferecer umas peúgas giras giras que ficam na gaveta o ano inteiro, nem a vóvó a dizer que está mais magrinho e terá de se alimentar. Nem 20 mil crianças aos gritos de alegria pela casa.

Sim porque há natais e natais, e há profissões e profissões, e a todos que gostariam, mas não podem passar um natal mais tradicional, os votos para que este seja igualmente bom... e para todos os outros também.


By C.

Lá se vai a camada de ozono.

Isabelli Fontana

E este fresquinho que dói até á medula? Hum? Os meus ossinhos que nunca se prenunciaram, nunquinha, hoje andam assim um bocado revoltados, como que a querer apertar os tendões para se taparem e aconchegarem a um canto... sim porque hoje levantar...ui, 'tá quieto!

A sério como é que é possível sobreviver sem um aquecedor/aquecimento a bufar dia e noite? Como? Sem um camisolão de forro polar, por sinal foleiro que dói mas que é crime desfazer me dele? Como se sobrevive á noite sem cobertores quentinhos e edredons?? hum?? pois lá está... não oiço nada..Eh pah...isto não é normal...que o seja em algumas cidades, sim... mas aqui não... a dita cuja camada de ozono está a dar de si, como ei-de dizer... "já foste!! E se não foste tás a ir, porque a essa temperatura de boa saúde não estás com certeza."

Agora pelas frieiras dos meus vizinhos, pelas suas roupas que não secam, por nós que já misturamos vizinhos com "móveis" e por todos aqueles a quem isto já incomoda seriamente...um bocadinho de sol "paqui" hem??? A sério... tenho frio...

By N.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Proibido @ elevador #1


Por favor... se alguns dos meus vizinhos me estiver a ouvir, por favor, não transportem o franguinho assado no elevador.... não não não!!! É que é vê-la de narizinho a percorrer todo o elevador em biquinhos de pés, numa espécie de dança descompassada e imprópria para um espaço daqueles... e quando se chega a casa e nada, mas absolutamente nada faz juz á sensação sentida, ai a fome passa a gula, a gula a um grande pecado chamado batatas fritas e as batatas fritas a sofrimento na passadeira... sim "Olá eu sou a N. e gosto demasiado de batatas fritas."

Por todos aqueles narizes e estomagos sensíveis, frango assado no elevador NÃããããã....

By N.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

O truque da chave...

bag at the Hermes A/W 2008 Show

Inúmeras vezes são aquelas em que nos confrontamos com alguém no elevador, e não temos nem assim um bocadinho de á vontade ou assunto... não conseguimos nem sequer dizer: "Hum, hoje está frio não está?".

Não dá... aquele espaço ascendente/descendente, obriga-nos a estar próximas e completamente isoladas com um desconhecido, que embora saibamos onde viva e tenhamos possibilidade de lhe deixar á porta um saco de 50 litros cheio de lixo de 2 semanas de existência, não deixa de ser apenas: um desconhecido.

Pois bem... nesses segundos intermináveis, em que já utilizamos a desculpa de que não vamos subir porque temos de tirar a importantíssima "Dica da Semana" da caixa do correio, á que respirar fundo e mal se entre no elevador, procurar a chave de casa nas nossas infindáveis malas...e é tão bom ser mulher... E mesmo que magicamente encontremos a chave á primeira,continua-se a remexer o fundo da mala e aquando do "tlin" e da porta se abrir... ali está ela.. e ai sim "A continuação de um Bom Dia".

E não foi uma nem duas vezes que já fizemos isto... perdoem-nos queridos vizinhos!

By N.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Aviso...


... ontem houve festa... grande festa... se calhar grande demais...Hum...

Vizinho do 4ºDrt... gostoso, cheiroso e não sendo um menino de modelo ele tem ali qualquer coisa de... qualquer coisa!!! (...) Guarda-se para um novo dia uma maior introspecção sobre os ares que este nosso vizinho nos dá.

Pois bem, este meu vizinho decidiu dar mais uma entre tantas festas, mas esta foi... como dizer, assim um bocadinho para o grande e barulhenta demais. Era só abrir a janela e ouvir as mais variadas formas de pronunciar palavras, conjugar verbos e como aprender a repetir sem cansar "mão direita é penalty".

Como acabou tanta cantoria e preparação para a implementação do acordo ortográfico que vem ai, não sabemos pois por aqui andam nuvens negras, terramotos, tufões e um ou outro relampagozito pelo que dormir sabe bem...

E quando vos digo que esta festa foi para não esquecer acreditem... pois o meu querido vizinho ao entrar no elevador e ao dar de caras com um aviso do condomínio sobre condutas e coisas ruins elegíveis por um cérebro as 9 da manha, não se deve ter acreditado nem esquecido...

By N.


quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Casa VS Apartamento


Então vamos la ver uma coisa... O que é preferível morar num apartamento ou numa moradia?

As opiniões divergem e eu própria ainda não sei bem bem o meu ideal de habitat, mas neste momento pende para um Ap viradinho para o mar, duplex. É no natal que se fazem pedidos não é?


Ora morar cheia de vizinhos dos lados por baixo por cima ou ter um ou outro a meio km de distancia?
Ter um jardim pequenino para as crianças brincarem com os restantes miudinhos do prédio ou ter um jardim enorme com a criança a brincar só ou com os papas?
Ter meio metro de casa para limpar ou ter metro e meio?
Pagar a empregada 3 horas de limpeza do Ap ou pagar a empregada 3 dias pela limpeza da casa? (semanais)
Ouvir e ser ouvida ou simplesmente não ouvir nada nem ninguém te ouvir?
Ter uma garagem para 10 carros ou ter 1 carro para dez garagens? (espaço)
Dizer bom dia só ao cão, ao marido e aos filhos, ou dizer Olá ao cão, ao marido, aos filhos, aos primos, aos Antónios, aos Maneis, as Marias, e por ai fora?
Vivenciar dezenas de vidas ou vivenciar apenas a própria?


Eu continuo e sonhar com o apartamento duplex em frente ao mar, vizinhos simpáticos, e um clima agradável. Mas entretanto, se mudar de ideias, eu volto a escrever ao pai natal.
By C.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Ó vizinho...


...não faças essa carinha porque fazes com que eu tenha pena de ti.
By C.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Queremos Carnaval!


Não queremos Natal, que nos faz pensar, ficar nostálgicas, tomar decisões fazer resoluções para um novo ano que se avizinha.

Queremos Carnaval, onde ninguém leva a mal, onde se mascara daquilo que não se é, queremos alegria sem pensar, queremos sentimentos sem sentir.

Queremos a vizinhança feliz! Não queremos Adeus, queremos Olás!


Isto porque o Natal é de facto a melhor e mais bonita altura do ano, mas faz com que toda a gente ande cabisbaixa em vez do astral andar em alta.


Queremos a vizinhança feliz e animada. Queremos ser anjos vestidos de diabo ou será que diabos vestidos de anjo? Não queremos luzinhas a piscar, porque não sabemos se tudo fica ligado ou apagado, queremos serpentinas e confetis e motivos para festejar, mesmo que com suminho porque o álcool baralha o pensamento e este volta ao Natal.
Ou será que apenas queremos Natal com o espírito do Carnaval?


Feliz Carnaval para todos!


By C.

Stand up!




Por momentos deixou de fazer sentido este blog, deixou de fazer sentido falar do "meu vizinho que usa armani" deixou de fazer sentido falar sobre o lado de lá destas janelas...

Estivemos ausentes, estamos ausentes...

Nova semana, espera-se que a poeira assente, se reprimam angustias e se continue a fazer deste nosso blog, um infindável diário.

By N. and C.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Ausência


Nesta casa, nesta vizinhança estamos assim...

Sem mais nada a dizer..

By N.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

E depois há aqueles dias que nos sentimos assim...




... completamente "nuas" e transparentes. E tudo o que há muito estava alojado no coração passa para a boca. A sinceridade impera, e ouvimos aquilo que não queriamos ouvir, não porque seja mau, muito pelo contrário, mas porque piora tudo e não melhora nada.
Isto porque as pessoas não partilham só a rua, a janela, o endereço postal, partilham sentimentos, quer de amizade quer de afeição. E se isto é o melhor do mundo, a amizade, quando a mesma tem que acabar um bocadinho, quer por situações da vida, quer por ausências, custa sempre.

Tal como tudo o resto, perder vizinhos é como perder amigos. Eles não se perdem realmente, mas a habitação muda, a vida muda, e a rua fica mais triste, fica diferente!
Estamos tão habituadas a ter o X o Y e o Z a meio passo que quando estes se mudam de malas e bagagens tudo fica assim... estranhamente estranho.

E quando tudo entoa saudades, sentimentos, momentos partilhados, vividos, e bons, muito bons, entoa também uma certa nostalgia que não é explicada.
Tudo que foi dito no momento de "partir" devia ser dito meses antes... mas as pessoas nascem assim, confusas, teimosas, orgulhosas, e perdem sempre um bocadinho mais... ou então ganham tudo. A questão é essa.

Hoje dava jeito que as janelas da frente e dos lados fossem muros. Tal como um castelo rodeado da sua muralha, só para conseguir sentir como as pedras sentem, só para conseguir falar como as pedras falam.

By C.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Homens!


Os nossos vizinhos estão a torcer para que o apartamento que está por habitar, seja comprado ou alugado por alguém assim bem ao estilo da bela Raica.


By C.

Mulheres!


Nós estamos a torcer para que o novo vizinho seja mais ao estilo do rapazinho da foto.


By C.

domingo, 29 de novembro de 2009

Mais uma...


... mais uma, e outra, e mais outra, e já la vão três, e quatro e cinco, multas!


Temos um vizinho que tem tanto de fofinho como problemas com o seu carro.
Ele é acidentes, ele é contraordenações, ele é multa atrás de multa.

Lá o encontramos, e mais uma vez ele repete "hoje tinha outra multa vizinha". Dá para rir dito por ele e pela maneira como o faz, mas coitado do nosso vizinho que volta e meia tem o seu veículo cheio de papeis.

A acrescentar a tudo isto, ja há muito, anda ele à procura do grande amor da sua vida. De uma pessoa que lhe chamasse a atenção, lhe desse atenção, carinhos e animo para lidar com estas coisas do carro.


Não seria a solução dos seus problemas uma BICICLETAZINHA.

By C.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Bom Dia!


Se há coisa que gosto de fazer com alguma rotina, é tomar o café da manha aqui, bem pertinho de casa.

Camuflar-me nuns óculos (objecto matinal OBRIGATÓRIO, quer faça sol chuva ou caia neve) e num gorro bem fofinho e ir beber um café para acordar. Seguidamente dar os "bons dias" todos a quem se cruza, seja a passear o cão, seja a correr pelo atraso matinal, ou seja por qualquer outro motivo.
Depois do ritual do café, há o ritual do alimentar de notícias, e aí, é a vez de passar na livraria e ler os jornais, as revistas cor-de-rosa, as azul, as laranja e as lilás.

Venha o café e venha a informação logo ao acordar! E venham as caras, as carinhas e as caretas da vizinhança que saiem logo bem cedo de casa. É tão fácil adivinhar os pensamentos:

"Que porra! Quando é que me sai o euromilhões para deixar de ter horários!?"

"...E ligar para o médico a pedir o atestado por dor súbita e forte de cabeça e não ir trabalhar hoje!"

"Hum... Que sono! Hum... as chaves!? Hum..."

"Será que ainda posso dar mais uma falta à cadeira das 9h?"


Gosto mesmo das manhas, dos cafés e dos meus queridos vizinhos.

By C.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Tv off... Let's rockkkk!!


Imaginem que a televisão hoje se desligou... Pasmem-se, as nossas queridas e estranhíssimas vizinhas da Tv... WWWWwwwow! Não seria este acto tão surpreendente assim, não fosse habitual aquele monte de tecnologia e informação permanecer 27h por dia ligado... e desconfio que mesmo nos quartos, tenham espécimes similares... Pois bem, hoje a Tv desligou-se e além disto, existem mais duas pessoas que tropeçam por aquela casa... A palavra é mesmo "tropeçam" pois hoje, eu e a C., tivemos direito a 1ºa bancada de um free show!! Lindo...

Garrafas em punho e qual Shakira, qual Beyonce, aquilo era abanar o esqueleto como se de uma infestação de pulgas se trata-se... mas, como se a dança não fosse de si só estranha, mandavam-se para os sofás, e de pernita para o ar, uhpa... bicicleta imaginária... toca a dar ao pedal! Já de novo em pé, voltavam-se para as danças exóticas, pois creio que, é nestas alturas que me dói não ter um "eagle eye", levantavam a camisolita para dar ares de seu umbigo para a festa!!

Estranho? Assustem-se... piora...

A Tv abandonada, após dias e dias de dedicação para a sua inequivoca audiência, permanecia estática perante tais acontecimentos... porque sim, as vezes as Tv's andam... e quando eu vi um aspirador andar no meio daquelas danças, com o seu tubo de um lado para outro, pensei mesmo que a Tv fosse a próxima a sucumbir a tais ideias.

Ora portanto, toca a abanar que estamos em festa e a festa continuou e hum...

"Estou a ouvir mais vozes..?? Estranho... parecem vir daqui perto!"

Toca a ir para outra divisão da casa (não as fossemos inibir claro), abrir a janela para a varanda e averiguar de onde vinha o novo alarido. Pois bem, nada mais nada menos do que deste prédio, do 4º Andar. Não seria o vizinho do 4º Direito que "é de uma educação extrema, de uma conduta admíravel e de uma preocupação preocupante"... logo só podia ser o nosso vizinho cheiroso e gostoso do 4ºEsq, que para não variar, tinha convidados em casa, e esses mesmo convidados, perante tal festa infestada, decidiram participar... o que diziam não sabemos, mas elas gostaram...e como abelhinhas que picam e fogem, iam para o terraço, mãozinha no ar e como serpentes encantadas, faziam com que o corpo se derrete-se, e depois... upa, para dentro esticar a pernita na dita bicicleta do sofá. Multipliquem isto por mais umas 4 vezes.

Ora a nós, que as colocamos com tanto carinho neste blog, nunca nos dedicaram uma dança. Não que nos sintamos invejosas, mas claro, causa transtorno.

Pois bem, a festa já acabou e se nós tivermos mais uma "estrelinha em nós", hoje devemos encontra-las brevemente por um qualquer bar desta cidade... façam figas que eu quero muito.

Parece-me que amanha não vai haver movimentação naquela casa... apostam?

By N.


terça-feira, 24 de novembro de 2009

Quase quase!


Ja cheira a natal, e estamos quase quase a fazer com que a casa se encha de tons dourados.

A rua vai ficar a brilhar e os vizinhos vão andar de carrinhas com árvores de natal carregadas.

Vai ser tão giro de se ver!


By C.


It's Oh So Quiet...


Esta tudo tão calminho por cá...
As janelas semi-fechadas fazem transparecer que se descansa ou se trabalha afincadamente fora da cidade.
Apesar do transito la fora, as casas entoam silêncio e tranquilidade.
A vida agitada raramente está em paralelo com a agitação dentro da habitação. Isto é, se ha uma tonelada de papel para tratar no escritório, ou uma quantidade alta de trabalhos e exames a realizar na faculdade, a casa fica só e abandonada e só ganha vida muito mais tarde, quando as tarefas são realizadas e se retoma ao "lar doce lar".
Destarte, o que passará pela mente dos quadros, dos sofás, dos biblôs, dos tapetes, de tudo o que preenche a casa?
Ficarão a interagir uns com os outros até os donos chegarem...
Ficarão a rir que nem doidinhos pelo assado queimado na noite anterior, pela quase queda do "patrão" no tapete semi dobrado...
Ou ficarão cheios de saudades do anoitecer para terem as crianças a correr pela casa, terem as conversas do dia entre casais e as perípecias tão peculiares na fila de transito até ao regresso.
Nunca saberemos, mas continua tudo...
...so quiet, it's oh so still, you're all alone and so peaceful.
By C.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Limpezas!


Hoje é dia de lavar, secar, aspirar, desinfectar.
Aproveitar que o sol se faz mostrar, para por a casa a brilhar.

Por isso estimados vizinhos e vizinhas hoje vao haver muitos barulhos de aspirador, de louça e de máquinas a lavar.


Prometemos, no entanto, cantarolar - muito e bem- enquanto as lides são feitas!

By C.

A Senhora Sinistra


Á pouco, na penumbra da noite, de um modo sinistro apareceu um vulto de uma senhora (julgo), de corte não invejável pela linha das orelhas, num dos andares do prédio em frente...

Nunca vi nada nem ninguém nessa casa até hoje. Além do característico blackout que infesta os prédios desta zona, esta casa em singular tem também um cortinado branco... pois é claro, se fosse um cortinado fucsia, eu nunca me assustaria ao ver um vulto nele... coincidência!!!
Pois bem, estes cortinados juntos não deixam ver nadinha de nada para dentro, nem luz nem pulga, e nunca até hoje tinham sido abertos na minha presença. Mas foram.... e não gostei.

De pernita a abanar, me enfio aqui para assinalar a vida do primeiro vizinho, do qual não tenho interesse, mesmo, mesmo nenhum em acompanhar. Ou se calhar até tenho.... num sei.... desde que não me apareça no meio de uma noite especada atrás do dito cortinado branco. Num gostei pronto!!! Só faltava era em vez de ser uma senhora, ser uma miúda de vestido branco, sem sapatos nos pezinhos e com um urso de peluche que foi á 2º Guerra Mundial meio seguradito na mão... eu não tenho estomago para isto.... a sério que não...mas lá no fundo morro por ver e saber coisas destas.... !

By N.



*a ver vamos se isto por aqui é só boa vizinhança... =)