sexta-feira, 17 de junho de 2011

Do curso.

Sempre fui uma boa aluna na escola, a Língua Portuguesa principalmente. As respostas dadas para correcção de testes eram as minhas na maior parte dos casos. A Sociologia também me safava bem, bem como a História e Psicologia. Em suma, tudo o que estivesse ligado com centenas e centenas de frases quer para ler, quer para escrever, eu safava-me.

Por tudo isto, e por muito mais. sinto que não devia ter vindo para um curso superior em que a única frase que escrevo, é o meu nome completo no cabeçalho. Sinto que podia ser mais feliz, tal como melhor aluna, se estivesse em Psicologia, por exemplo. Sempre foi uma área que muito me cativou e continua a fascinar, mas que sempre foi rotulada como PSICOLOGIA=DESEMPREGO.

Eu discordo, e agora arrependo-me imenso, porque quem é realmente bom e gosta daquilo que faz, mais tarde ou mais cedo, vai ser repescado para um merecido lugar.

Marketing também tinha sido uma excelente aposta. Resumindo, vim para números e gostava de palmilhar por letras e textos, por objectivos e resultados diferentes.

Mas para ser mesmo mesmo feliz, tinha que ser uma coisa com mais (ou menos) floreados, mais bainhas, mais glamour, a Moda era a minha praia. Ter um Atelier um sonho. E vender sonhos da cabeça aos pés era a minha grande alegria. Mas neste mundo, neste Portugal, seria ter os pés pouco assentes no chão. Ou vai daí e porque não?

Tenho a certeza que há uns anos as minhas escolhas de vida teriam sido outras se tivesse a experiência de hoje. Mas isto, acho que mundo e meio pode dizer. Eu não sou excepção.

Aos que lutam afincadamente por esta época de exames: Boa Sorte.

By C.

4 comentários:

Johnny disse...

Boa sorte para a época de exames, nunca são tempos fáceis. Eu tenho a sorte de estar no curso que quis: ciências farmacêuticas. Mas é curioso a minha segunda opção ser ciências da comunicação. Também gosto muito de letras e de escrever. O blog acaba por ser o escape. Acredito que se passe o mesmo contigo.

Borboleta disse...

Revi-me neste texto, excepto a parte de estar na universidade. Nunca é tarde para irmos atrás dos nossos sonhos. A mim estão a dizer-me constantemente que jornalista é uma profissão difícil e que é mal paga, mas eu não desisto. Não fui feita para desistir.

GP disse...

toast to your words...essas palavras podiam ser minhas

Girls Next Door disse...

Johnny: Obrigada. De facto é uma época de muito trabalho e sem dúvida que o blogue é um escape e uma forma de trocar os numeros pelas letras.

Borboleta: O importante é mesmo não desistir, é o que tenho feito. beijinhos

GP: Eu sei ;)