quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Tentar contornar a má sorte


Depois do caracol e da lesma, desta vez foi um pássaro. Lamento, não consegui passar por ele e deixá-lo á sorte. Era pequeno, não conseguia voar e tinha um grande buraco debaixo da asa. Sabendo o que me esperava levei-o para casa.

Depois de uma aula de gym, completamente morta, estive uma hora e meia no chão do quarto a fazer-lhe uma gaiola. Madeira, plásticos, tiras de madeira de um individual, uma capa A4 e muita fita cola, um orgulho não fosse para o que era. Enrolei um cachecol polar velho em fita cola para lhe fazer um ninho e assim acabei com um rolo. Roubei uma maça á C. e enchi-o de betadine, a ele e a mim. Bebeu água mal o meti nas novas instalações. Fiquei feliz. Estava cansada quando acabei, jantei as 11. Fui dormir para hoje chorar.

Bateu as asas literalmente. Chorei baba e ranho literalmente. Eu sabia, o M. também que fez questão de subir a casa pois sabia o que me ia acontecer. Disse-me que eu tinha 24 anos, mas que não fazia mal chorar. Chorei ainda mais. Não me deixou ve-lo, pedi-lhe para lhe tocar, para ter a certeza que tinha mesmo morrido. Parva de crente que sou.

Levou-o num plástico e fiz-lhe jurar que não o deitaria para o lixo. Ficou na erva junto a casa dele para os gatos o comerem. Menos mal, nojento, mas menos mal.

Arrumei a casa para me entreter, para a C. não me levar a mal eu ter trazido mais um bicho de rua e para limpar a gaiola que mal se usou.

Enfim, fiz o que pude. Lamento se sou tão parva para chorar, aliás... não, lamento eu por quem não entenda que eu possa chorar.

Que eu nunca encontre um cavalo na rua magoado, que ele não me cabe no elevador.

by N.

3 comentários:

Anónimo disse...

Só tenho 2 palavras: GRANDE MULHER. Não comento nunca nada em blogue algum, mas revi-me tanto neste teu post. Sou exactamente assim, aliás agora tento conduzir e não olhar para as bermas, campos, descampados, etc pois não sei porque só eu consigo ver o que mais ninguem vê .........sofrimento. Nem é preciso um animal estar magoado, em alguns apenas sofrimento no olhar ... e doi-me tanto tanto. Era só para dizer que não és a única ... nunca tenhas vergonha de ser assim e continua ... se pudermos de alguma forma minorar o sofrimento ... As pessoas não se lembram que se nos doi a cabeça tomamos um comprimido, os animais sofrem em silêncio e só nós pudemos ser a sua voz. E chora, chora á vontade, deita tudo cá para fora ........há 2 anos que choro, estou neste momento a chorar, e vou continuar a chorar sempre que me lembrar dele, do que sofreu apesar de todo o meu amor. Não consegui impedir um fim trágico. Resta-me pensar que teve uma dona que chamou uma Vet para acabar com todo aquele sofrimento ... Por isso choro ... É sinal que temos sentimento, que sentimos amor que somos sensivéis e não cruéis. Bjinho Manuela

Girls Next Door disse...

=')

Anónimo disse...

Big Woman! Shame on us...
primaS.