quinta-feira, 1 de abril de 2010

Blogue meu, blogue meu, há vizinho como o meu?


Todos nós lidamos com pessoas diferentes diariamente. Pessoas com características muito próprias e desiguais. Pessoas que reagem de forma distinta ao que a vida traz, a todos, dia-a-dia.
Um prédio, uma rua de casas geminadas, um condomínio fechado de vivendas, o que quer que seja, vive de gentes. De gentes que partilham metros quadrados entre si, que partilham o mesmo pedaço de sol, de chuva e ar. Partilham jardim ou elevador, partilham entradas e partilham sorrisos, as vezes.

Por cá temos uma vizinhança diversificada. Muitos dos vizinhos já tiveram o seu minuto de fama neste blogue, outros virão a ter.

Temos vizinhos de todos os tipos. Do tipo sorridente, cheiroso e escandalosamente giro.

Do tipo nerd, que não tira os olhos de um manual-minimo-20.000-paginas, e por isso tropeça escada sim, escada não.

Do tipo velha rabugenta, que se está chuva quer sol, e se está sol devia estar de chuva.

Do tipo desportista, sempre com ar saudável a beber a dose diária de água recomendada.

Do tipo carrancuda que não sabe o que é um bom-dia, uma boa-tarde ou uma boa-noite,
que está sempre com a mesma cara de frete, e que nunca vimos um dentinho de tão pouco simpática boca.

Temos do tipo casal perfeito, em que um abraço faz mais cor-de-rosa o prédio e o mundo.

Temos a mãe giraça, sempre perfeita com um rebento ainda mais perfeito e que certamente um dia será apelidada de Tété, Cácá ou Mimi.

Temos do tipo simpática-mais-simpática–não-há.

Ainda temos do tipo coscuvilheira que nunca sabe nada e quer sempre saber tudo, que arrasta em si um ar sempre admirado e boca entreaberta e acompanha–se sempre da frase “A sério? Onde? Quando?”.

Temos a vizinha dos headphones que está sempre no seu mundo, sorri e segue na sua musical vida.

Por fim temos o tipo telefonista, sempre com o telemóvel ligado, sem nunca haver conversa de elevador, este tipo está simplesmente sempre ao telefone a falar com alguém. (ou será que usa a técnica?)

Temos de tudo um pouco. O que faz de nós as pessoas com a melhor e a pior vizinhança.

By C.

1 comentário:

Raquel disse...

Eu também tenho vizinhos de todos os generos, à excepção do vizinho escandalosamente giro! Oh, que peninha... :(

Beijinhos meninas.