segunda-feira, 5 de abril de 2010

Ali, onde a internet não chega.


Internet : "É uma coisa que anda por aí pelo ar, que os computadores apanham como as televisões."

A sabedoria dos mais velhos foi sempre foi e será um baú que devemos ter, guardar e perpetuar. Esta é mais uma caixa para esse baú.

Nessa terra que por esta altura, as ruas se enchem de pessoas vindas de todo o Portugal e arredores, em que o silêncio dá lugar a vozes que um dia já ali pertenceram, a internet não andava por ali. Terras longínquas á mercê do isolamento criado pelas grandes cidades, em que para ir de "carreira" temos de apertar o estômago com toda a força durante horas e horas, e onde o ar é tão puro, mas tão puro que nem a "internet" anda nele.

O céu é diferente. Tudo o é. Nem melhor nem pior, apenas diferente e especial. E aquela terra é especial. Sair para o campo sabe bem, estar a lareira "de frente quente e traseira fria" sabe bem, estar com os enchidos a meio metro da cabeça sabe bem, trocar o carro pela carroça sabe bem, comer laranjas do pomar sabe bem e estar com aqueles que o tempo não permite que os saudemos todos os dias sabe mesmo muito bem.

De volta ao meu cantinho, depois de todos os beijos de despedida e na certeza de querer voltar, eis que o meu portátil emite um bip:

"Sinal de rede encontrado."

Olá, estou de volta.

By N.

3 comentários:

Raquel disse...

Adorei! Adoro fugir para o campo de vez em quando e sentir as vidas das gentes de lá.

Bjs

marina disse...

Por momentos, senti que estava lá... ;-)
Bnjs

Girls Next Door disse...

:)