domingo, 3 de janeiro de 2010

Opiniões, precisam-se!


O novo ano, trouxe novas histórias. E a que vou partilhar com vocês é um tanto ou quanto caricata e estranha.

Pois bem, temos um vizinho que, segundo ele, está com um grande problema em mãos. Se por um lado há meia dúzia de meses se apaixonou, ou julgou apaixonar-se, por uma pessoa, agora diz que já não está assim tão in love pois tem outra pessoa na cabeça e no coração.
Desta feita, e porque a vida é tramadíssima, ele tinha já uma série de planos com a pessoa que conheceu, ela de malas e bagagens deixou tudo, o outro lado do mundo, o emprego, os amigos, a família, o cão o periquito e tudo mais. Todavia, entre este vai não vai, o nosso vizinho (que sempre teve uma pessoa na mente mas julgou ser impossível qualquer aproximação) descobriu que afinal o antigo e verdadeiro amor, não era assim tão impossível.

Simplificando, as coisas acontecem na altura errada, no momento menos oportuno. Fica assim com uma dualidade em mãos.
Por um lado, os planos que tinha feito com a pessoa que conheceu a meia dúzia de meses e a pressão dessa mesma pessoa, por outro descobre que o que sempre quis e imaginou se torna realidade.

E eis que ele, chega a conclusão que, sendo ele incapaz de fazer sofrer alguém que deixou tudo por ele, acomoda-se a situação de ficar com a pessoa por pena, por solidariedade, por uma questão de valores, de personalidade (ou falta dela). Mesmo tendo o coração e o pensamento noutro sitio.
Meus caros e adorados leitores. Ficariam vocês com alguém por pena? Por saber que a pessoa fez tudo por vos e não tendo coragem para a desiludir?
Ou contra tudo e contra todos, lutariam por o que realmente querem e gostam e mandavam a fama-de-melhor-pessoa-do-mundo dar uma volta?Perdiam o que amam, por o que é correcto fazer para não fazer sofrer? Razão VS coração?

Meu caro vizinho, eu cá acho um tremendo disparate tudo isto.

By C.

5 comentários:

Martins disse...

Ao ficar com a segunda pessoa o "vizinho" está a enganar-se tanto a ele próprio, como à rapariga que atravessou meio mundo para ficar com ele. Nestas situações temos de ser fiéis aos nossos sentimentos e optar por aquilo que faz o nosso coração bater mais forte. Está aqui em jogo a felicidade, e ao decidir como decidiu só pq "parece bem" está a contrariar-se e não vai conseguir ele próprio sentir-se realizado, quanto mais realizar a outra pessoa! São decisões que necessitam de punho firme, mas q demonstram o verdadeiro carácter de um ser humano.

Obrigado pela visita ^^

**

chapeu de sol amarelo disse...

Já passei por essa situação... Claro que fui a "má da fita" mas valeu a pena, fiquei muito mais feliz com a pessoa de quem realmente gostava!

Luna disse...

Claro que a comodidade não pode ter a ver com amor. Tem mais a ver com a falta dele.
Espaço interessante.
"I'll be back.":-D

2010 esplendoroso.
Cheio de glamour e amor.
Baci

Raquel disse...

Escrevi sobre isso há uns tempos no meu blog (http://anjosdechocolate.blogspot.com/2009/11/agora-em-vez-de-nos-apaixonarmos-vamos.html), porque conheço situações do genero e já passei por uma experiencia dessas...
E definitivamente, deixaria a fama de boa pessoa de lado. É que a fama não me faria feliz e nem à outra pessoa que mais dia menos dia, iria sentir da forma mais cruel que tinha feito a escolha errada.

Feliz 2010! :)

PS: Gostei do teu blog!

STAR disse...

Não faço ideia do que faria porque estou farta de dizer "Epah se fosse comigo acho que..." e depois o karma trama-me só mesmo para me relembrar que nunca sabemos ao cero até estarmos na pele do outro MAS... é claro, clarissimo como água cristalina que ele assim não será feliz! Nem que fosse para apostar no 'verdadeiro amor' e perder, mas ele teria de o fazer.
Mas quanto à pobre rapariga... Nem sei que diga mas a minha compaixão pela situaçao delicada em que ela está, está com ela!